E agora José?

E agora José?

Renata Adoración trabalha há 13 anos na área de bares e restaurante, já fez de um tudo dentro dos lugares, mas foi dentro do bar que seu coração fez "tudumts". Estuda e lê bastante, hoje se dedica a implementar uma gestão sustentável dentro do restaurante que é chefe de bar há quase 4 anos, o Fitó Cozinha. Abraçou a coqueteleria brasileira e não por acaso se inscreveu no concurso da Pindorama, onde encontrou tudo que ama, arte, ingredientes brasileiros e cachaça!

 

Se inspirou na versalidade e potência da cachaça que sempre a impressionaram, a valorização da idendade e cultura brasileira, a fusão de influências externas à esses elementos, e neste coquetel quis trazer um perfil de sabor confortável, delicado e porque não, sofiscado, colocando a cachaça onde ela merece estar, no topo! O nome do coquetel E AGORA, JOSÉ? é um poema do gigante Carlos Drummond de Andrade, da segunda geração modernista que se deu início em 1922, que expõe em versos de frases curtas, com precisa ironia, a resistência do brasileiro diante da sua dura realidade. Nossa cultura sobrevive, desisr não é uma opção, então vamos celebrá-la.

 

Receita

Ingredientes

60ml de cachaça Pindorama macerada com cumaru*

40ml de hidromel de abelha jataí

20ml de Marni Bianco

20ml de limão siciliano

20ml de aquafaba Nibs de cacau

*Pindorama macerada com cumaru: 3g de cumaru ralado em 500ml de cachaça. Deixar descansar por 10 horas mexendo de vez quando em local sob abrigo de luz, depois coar com ajuda de um tecido para não deixar resíduos.

Modo de preparo

Colocar todos os ingredientes em uma coqueteleira sem gelo e bater até emulsificar, acrescentar gelo e bater mais uma vez. Fazer uma dupla coagem em uma taça previamente gelada e dispor os nibs de cacau como está na foto. Voilà!

Back to blog